• Palácio Imperial de Petrópolis, residência de verão do imperador d. Pedro II e sua família, construído entre 1845 e 1862. Abriga o Museu Imperial desde 1940.
  • François René Moreaux. Proclamação da Independência do Brasil. Óleo sobre tela, 1844.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Viagens do imperador

Conjunto documental relativo às viagens do imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo
 
Em 2013, o “Conjunto documental relativo às viagens do imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo”, pertencente ao acervo do Museu Imperial, recebeu a nominação para o Registro Internacional do Programa Memória do Mundo, concedida pela UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. O programa tem por objetivo identificar documentos e/ou conjuntos documentais com valor de patrimônio documental da humanidade. Em 2010, o conjunto havia recebido o Registro Nacional do mesmo programa, o que já o havia classificado como patrimônio nacional do Brasil.
 
O conjunto documental
 
O conjunto é de importância não só para a biografia do segundo imperador do Brasil, mas, sobretudo, para a pesquisa da história do país e do contexto social, cultural e político internacional da segunda metade do século XIX.
 
É constituído de diários pessoais, cadernetas e itinerários de viagens, correspondências, registros de visitas e contatos do imperador, relatórios de despesas da mordomia imperial, jornais e outros periódicos, panfletos, programas, saudações e homenagens, convites, desenhos e gravuras; foi doado, em 1948, ao Arquivo Histórico do Museu pelo príncipe d. Pedro Gastão de Orleans e Bragança.
 
Os documentos textuais e iconográficos permitem, principalmente a partir das impressões detalhadas de d. Pedro II em seus registros, traçar um painel sobre o século XIX e suas transformações, revelando aspectos da evolução do pensamento, das descobertas científicas, da diversidade cultural e das paixões políticas, permitindo a análise das relações diplomáticas entre o Brasil e países de diferentes continentes e, por tudo isso, configurando sua importância nacional e mundial.
 
Sobre o Programa
 
O Programa Memória do Mundo reconhece patrimônios documentais de significância internacional, regional e nacional, mantém o seu registro e lhes confere um certificado que os identifica. O Programa facilita também a preservação e o acesso, sem discriminação, a este patrimônio e trabalha para despertar a consciência coletiva sobre a sua importância, visando aumentar a responsabilidade quanto ao patrimônio documental, alertando governos, público em geral, setores industriais e comerciais da necessidade de preservação e de arrecadar recursos.
A UNESCO criou o Programa Memória do Mundo em 1992 devido à consciência crescente do lamentável estado de conservação do patrimônio documental e do deficiente acesso a este em diferentes partes do mundo.
 
sem ttulo-1

Para mais informações, acesse o site do Programa Memória do Mundo (em inglês).
 
Conheça algumas das peças que compõem o Conjunto:
 
 
programa musical em nova iorque em homenagem a d. pedro ii - 18-04-1876 - baixa
Programa musical em Nova Iorque em homena-
gem a d. Pedro II - 18/04/1876 
 
viagem ao egito - 1876- baixa
Viagem ao Egito - 1876
 
dirio de viagem aos estados unidos - 1876 - baixa
Diário de viagem aos Estados Unidos - 1876
 
desenho de autoria de d. pedro ii - vista de morro de so paulo - ba - 1859 - baixa
Desenho de autoria de d. Pedro II - Vista do Morro de São Paulo - BA - 1859

Programa Memória do Mundo

Programa Memória do Mundo
 

Acervos do Museu Imperial com registros nacionais no Programa Memória do Mundo:

 

Conjunto documental relativo às viagens do imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo (2010)

Coleção Carlos Gomes do Museu Imperial (2012)

 

O Programa Memória do Mundo, da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, tem como objetivo identificar documentos e/ou conjuntos documentais com valor de patrimônio documental da humanidade, reconhecendo-os como de significância internacional, regional e nacional.

O Programa facilita também a preservação e o acesso, sem discriminação, a este patrimônio e trabalha para despertar a consciência coletiva sobre a sua importância, visando a aumentar a responsabilidade quanto ao patrimônio documental e alertando governos, público em geral, setores industriais e comerciais da necessidade de preservação e de arrecadar recursos.

A UNESCO criou o Programa Memória do Mundo em 1992 devido à consciência crescente do lamentável estado de conservação do patrimônio documental e do deficiente acesso a este em diferentes partes do mundo.

Para mais informações, acesse o site do Programa Memória do Mundo (em inglês).

Coleção Carlos Gomes

Coleção Carlos Gomes

 

Em 2012, o Museu Imperial recebeu seu segundo Registro Nacional do Programa Memória do Mundo, da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), com a Coleção Carlos Gomes do Museu Imperial. O programa tem por objetivo identificar documentos e/ou conjuntos documentais com valor de patrimônio documental da humanidade. A diplomação aconteceu no dia 04 de dezembro de 2012, no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro. Ao todo, 36 instituições enviaram candidaturas de conjuntos documentais, dos quais dez foram contemplados.

A Coleção Carlos Gomes do Museu Imperial reúne 284 itens, incluindo fotografias, documentos textuais, gravuras, desenhos, livros, periódicos, folhetos e uma partitura. Entre as raridades, está um álbum de recordações que possui mensagens de grandes nomes da época dedicadas a Carlos Gomes, como um desenho de Pedro Américo, um desenho e uma poesia de Victor Meirelles e uma dedicatória de Manuel Araujo Porto Alegre.

Também merecem destaque os cenários da ópera Il Guarany, em aquarelas de Carlo Ferrario, cenógrafo do Teatro alla Scala de Milão, Itália, e a partitura manuscrita de um hino composto para o primeiro centenário da Independência norte-americana, encomendado pelo imperador d. Pedro II e por ele oferecido ao presidente Ulysses Grant na Exposição Universal da Filadélfia, em 1876.O acervo foi doado ao Museu Imperial em duas partes, em 1946 e 1950, por Ítala Gomes, filha do maestro. Além dos documentos que compõem o conjunto que concorre à titulação da Unesco, a doação contemplou outros itens, como um piano de Carlos Gomes. Contudo, devido à restrição do prêmio, que se refere apenas a documentos, os objetos não foram inseridos na candidatura.Também merecem destaque os cenários da ópera Il Guarany, em aquarelas de Carlo Ferrario, cenógrafo do Teatro alla Scala de Milão, Itália, e a partitura manuscrita de um hino composto para o primeiro centenário da Independência norte-americana, encomendado pelo imperador d. Pedro II e por ele oferecido ao presidente Ulysses Grant na Exposição Universal da Filadélfia, em 1876.

O acervo foi doado ao Museu Imperial em duas partes, em 1946 e 1950, por Ítala Gomes, filha do maestro. Além dos documentos que compõem o conjunto que concorre à titulação da Unesco, a doação contemplou outros itens, como um piano de Carlos Gomes. Contudo, devido à restrição do prêmio, que se refere apenas a documentos, os objetos não foram inseridos na candidatura.

O primeiro registro do Museu Imperial no Programa foi com os documentos relativos às viagens de d. Pedro II. Clique aqui para conhecer.

 

Sobre o Programa

O Programa Memória do Mundo reconhece patrimônios documentais de significância internacional, regional e nacional, mantém o seu registro e lhes confere um certificado que os identifica. O Programa facilita também a preservação e o acesso, sem discriminação, a este patrimônio e trabalha para despertar a consciência coletiva sobre a sua importância, visando aumentar a responsabilidade quanto ao patrimônio documental, alertando governos, público em geral, setores industriais e comerciais da necessidade de preservação e de arrecadar recursos.

A UNESCO criou o Programa Memória do Mundo em 1992 devido à consciência crescente do lamentável estado de conservação do patrimônio documental e do deficiente acesso a este em diferentes partes do mundo.

 

Para mais informações, acesse o site do Programa Memória do Mundo (em inglês).

 

Conheça algumas das peças que compõem a Coleção:

ferrario

Campo degli Aimoré, de Carlo Ferrario - cenário da ópera Il Guarany 

 

 hino

Partitura manuscrita do Hino ao Primeiro Centenário da Independência dos Estados Unidos, encomendado por d. Pedro II a Carlos Gomes. O imperador presenteou o presidente norte-americano Ulysses Grant com o hino na Exposição Internacional da Filadélfia, em 1876.