banner contatos

Coleção Carlos Gomes

 

Em 2012, o Museu Imperial recebeu seu segundo Registro Nacional do Programa Memória do Mundo, da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), com a Coleção Carlos Gomes do Museu Imperial. O programa tem por objetivo identificar documentos e/ou conjuntos documentais com valor de patrimônio documental da humanidade. A diplomação aconteceu no dia 04 de dezembro de 2012, no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro. Ao todo, 36 instituições enviaram candidaturas de conjuntos documentais, dos quais dez foram contemplados.

A Coleção Carlos Gomes do Museu Imperial reúne 284 itens, incluindo fotografias, documentos textuais, gravuras, desenhos, livros, periódicos, folhetos e uma partitura. Entre as raridades, está um álbum de recordações que possui mensagens de grandes nomes da época dedicadas a Carlos Gomes, como um desenho de Pedro Américo, um desenho e uma poesia de Victor Meirelles e uma dedicatória de Manuel Araujo Porto Alegre.

Também merecem destaque os cenários da ópera Il Guarany, em aquarelas de Carlo Ferrario, cenógrafo do Teatro alla Scala de Milão, Itália, e a partitura manuscrita de um hino composto para o primeiro centenário da Independência norte-americana, encomendado pelo imperador d. Pedro II e por ele oferecido ao presidente Ulysses Grant na Exposição Universal da Filadélfia, em 1876.O acervo foi doado ao Museu Imperial em duas partes, em 1946 e 1950, por Ítala Gomes, filha do maestro. Além dos documentos que compõem o conjunto que concorre à titulação da Unesco, a doação contemplou outros itens, como um piano de Carlos Gomes. Contudo, devido à restrição do prêmio, que se refere apenas a documentos, os objetos não foram inseridos na candidatura.Também merecem destaque os cenários da ópera Il Guarany, em aquarelas de Carlo Ferrario, cenógrafo do Teatro alla Scala de Milão, Itália, e a partitura manuscrita de um hino composto para o primeiro centenário da Independência norte-americana, encomendado pelo imperador d. Pedro II e por ele oferecido ao presidente Ulysses Grant na Exposição Universal da Filadélfia, em 1876.

O acervo foi doado ao Museu Imperial em duas partes, em 1946 e 1950, por Ítala Gomes, filha do maestro. Além dos documentos que compõem o conjunto que concorre à titulação da Unesco, a doação contemplou outros itens, como um piano de Carlos Gomes. Contudo, devido à restrição do prêmio, que se refere apenas a documentos, os objetos não foram inseridos na candidatura.

O primeiro registro do Museu Imperial no Programa foi com os documentos relativos às viagens de d. Pedro II. Clique aqui para conhecer.

 

Sobre o Programa

O Programa Memória do Mundo reconhece patrimônios documentais de significância internacional, regional e nacional, mantém o seu registro e lhes confere um certificado que os identifica. O Programa facilita também a preservação e o acesso, sem discriminação, a este patrimônio e trabalha para despertar a consciência coletiva sobre a sua importância, visando aumentar a responsabilidade quanto ao patrimônio documental, alertando governos, público em geral, setores industriais e comerciais da necessidade de preservação e de arrecadar recursos.

A UNESCO criou o Programa Memória do Mundo em 1992 devido à consciência crescente do lamentável estado de conservação do patrimônio documental e do deficiente acesso a este em diferentes partes do mundo.

 

Para mais informações, acesse o site do Programa Memória do Mundo (em inglês).

 

Conheça algumas das peças que compõem a Coleção:

ferrario

Campo degli Aimoré, de Carlo Ferrario - cenário da ópera Il Guarany 

 

 hino

Partitura manuscrita do Hino ao Primeiro Centenário da Independência dos Estados Unidos, encomendado por d. Pedro II a Carlos Gomes. O imperador presenteou o presidente norte-americano Ulysses Grant com o hino na Exposição Internacional da Filadélfia, em 1876.