01.06.1876

5 ¾ da manhã. Só agora posso completar as notas de N. Orleáns: Sobre as locomotivas sem fogo. Cada uma custa 1.500.00 dol. A velocidade ordinária 15 m. por hora. Máxima na linha que percorri 18 m. por hora.

Máxima obtida 30 m. Cada máquina anda 120 m. por dia e demanda 5.580 ££ de carvão, para produzir no reservatório central o vapor necessário para esse serviço de cada máquina. A linha tem 9 máquinas.

Os fazendeiros responderam-me indo eu ver as fazendas, que as canas plantadas até agora são as red and yellow ribbon (a melhor) Otaiti; Cristaline e Creole que tem degenerado e não presta.

O grande areômetro mais elevado 11º. Um acre — 219 p2. dá 2000 ££ de açúcar são dados por tonelada de cana quando o areômetro marca 8º. A cana leva depois de plantada 8 a 9 meses para poder ser moída. Quando passa 2 vezes pelas moendas dá 10% mais açúcar. Aproveitam tudo para açúcar. A moléstia observada é um bicho que começa a atacar as folhas por cima. Desaparece por si ou mudam de planta. O bicho não ataca a raiz e só faz que produza menos açúcar a cana. Atribuem o aparecimento do bicho à má drenagem. A cana dá 8 filhos e atinge a altura de 7 pés e ¾ de polegada de grossura. Costuma ter 6 a 7 limpas por ano. Raras vezes frecha a cana e em janeiro quando o frio o permitira o frechamento. Não conhecia nem tinha idéia de nova variedade obtida pela junção de outras duas.

A vista da cidade quando partia entre 8 e 9 da noite para a barra do Mississipi era pitoresca por causa das luzes. Havia algum luar.

Cheguei à jetties cerca das 5 da manhã do dia seguinte. Fui logo ver as obras no meio de uma nuvem de mosquitos e moscas mutucas que atacam sem cessar. O meio de formar as jetties por meio de madeiros engradados cheios de faxina que compacta o lodo que aí se entranha é muito engenhoso e simples. Trago publicações que tudo explicam. Já há muito feito desde 14 de junho que se fincou a primeira estaca.

Fui no vaporzinho Julia de propriedade do Coronel Andrews o homem de dinheiro da empresa até fóra dos jetties e sondando. Onde há pouco só havia 8 pés de água e correnteza entre os jetties já cavou até 16.

O que li e conversei com o engenheiro Eads cabeça da empresa, me faz reputar estas obras de grande importância. Também conheci o ajudante o engenheiro Bayley que é muito inteligente e outro Pruciano Schmidt, que também muito me agradou pela sua perspicácia. Deixei os jetties às 9h

O Mississipi é mais bonito abaixo de N. Orleáns. Com a enchente as árvores pareciam nascidas no fundo do rio.

Vi mais de 6 ou 7 jacarés (alligator) alguns muito grandes tomando sol sobre paus um bem perto de uma casa. Também achei urubus como os nossos.

À tarde vi grandes plantações de laranjeiras. Um passageiro de nome Kennedy asseverou-me que havia laranjeira que se carregava ao mesmo tempo de 8.000 laranjas. Duvidei mas ele pareceu-me que não mentiu. Ao chegar o pôr do sol vi grandes plantações na margem direita do rio e os edifícios consideráveis da fazenda Magnólia de Mr. Lawrence representante no Congresso do Estado de Louisiana. Havia aí também um arado a vapor. A fazenda de Bradosh Johnson perto da outra também é importante.

Senti muito não ter sido informado a tempo para combinar minhas digressões às fazendas e às jetties

Como o fiz deixei de ver fazendas muito melhores de que as que visitei. Mr. Kennedy expus-me o processo diffusion empregado com proveito numa fazenda.

Cortam a cana em pequenos discos que depois pela lavagem cedem todo o seu caldo. Estava de volta em N. Orleáns à 1 ½ da madrugada.

O vaporzinho está perfeitamente arranjado e se não fosse o carvão poderia navegar muito dias no mar alto. Pertenceu ao tristemente célebre Tweed de N. York. Mudaram-lhe o nome quando Andrews o comprou. Eads deu-me um discurso seu na Academia de Ciências de St. Louis que prova sua grande inteligência e vastos conhecimentos. Ele e suas obras de engenharia foram as duas coisas mais interessantes de minha digressão ao Sul dos Estados Unidos. Ontem ao chegar aqui soube da chegada do Augusto a N. York antes de ontem e que estará hoje aqui às 6 da manhã e às 6 da tarde fomos fazer a devida visita à legação brasileira. A casa do Carvalho Borges está bem arranjada. Deu-se uma volta pela cidade. Capitólio, Smithsonian Institute e Monumento de Washington. Depois li cartas. Conversei com Mr. e Mrs. Bacon nossos companheiros de viagem do Rio de Janeiro. Ceei e ainda li até 11h que fui deitar-me.

Antes do almoço fui ver o Monumento de Washington. O mais curioso é a casa onde guardam pedras oferecidas por diversos. Há uma do Parthenon e outras das ilhas de Paros e de Naxos. Dei de mandar uma do Brasil. Deixei meia libra de contribuição e recebi um retrato de Washington e outro papel que ainda não vi bem.

Depois de um passeio até quase o Soldier’s Home. Depois do almoço: Museu Anatômico. Muito interessante — depois falarei de tudo mais miudamente — e estarei no Senado até 2 horas: assisti à reza antes de se abrir aquele como já observei na Câmara. Não se procedeu ao interrogatório do ex-Ministro Belknap.

Reparei para a estátua de Washington assentado. Três inscrições na frente: First in the heart of his countrymen — olha para o Capitólio: da direita — First in war; — da esquerda: First in peace.

Vi o colégio Franklin. Gostei. A casa apropriada para escola até formar professoras quase todas as 20 que saem cada ano custam 240.000 dol. a particulares. Esta normal school que educa desde a instrução primária não chega quanto ao ensino às outras que visitei.

Às 3 conversei com o Augusto que almoçara comigo.

À tarde fomos ao Soldier’s Home depois de ter visto uma fábrica de fazer 60.000 tijolos por dia apertando somente o barro tirado da barreira de encontro às formas. É muito interessante. O Soldier’s Home é colocado num lugar muito pitoresco e todo rodeado de árvores chegando-se aí por avenidas de árvores. É lindíssimo. Admite 200 soldados mutilados ou inutilizados em serviços ou que o tenham prestado 20 anos. Tem livraria; reading-room; bons quartos de dormir, refeitório e enfermaria. O comandante que é general e os oficiais tem lindas casas ao longo das avenidas. Há um lugar por onde se vê o Capitólio muito ao longe numa aberta das árvores.

À noite assisti a um concerto de música sacra que me agradou. Guardei o programa. Fui num templo protestante para se pagar o órgão. Ainda li e escrevi e dormi depois de meia-noite.

01 06 1876 pagina dos apontamentos do dia