banner viagem dpedro

03.07.1876

    Antes do almoço exposição brasileira no Main-Building. Às 10h passeio na estrada de ferro da exposição com os membros da comissão brasileira que eu convidei, e a quem dei bilhetes. Depois Machinery-Hall com o Luiz Filipe Saldanha e Agricultura. Às 12 ½ fui ver o ensaio do Hino de Carlos Gomes. Não chegara o Gilmore e fui à livraria pública de mais de 100.000 volumes fundada por Franklin, onde vi mapas curiosos – mesmo antes de chegar Penn – da cidade de Filadélfia. O bibliotecário é filho do antecessor. Enfim voltei ao lugar onde devia-se estar ensaiando o hino e aí se achava Gilmore. Muito me agradaram as rabecas e as harpas. Havia muita gente na sala do ensaio e aplaudiram com furor.

    Jantei mais cedo e às 4h saí. Vi o anexo ainda não pronto inteiramente onde estão modelos muito bem feitos de máquinas empregadas na mineração no Chile; outro que vende tintas e vernizes (Acerite etc.) a pequena casinha de Marrocos que é mui linda internamente e onde se vendem tapetes e outros objetos; tomei 2 xícaras de café – no chamado Brasileiro estabelecido pelo Resende com proveito para ele – a renda tem sido de 50 dol. por dia vendendo a xícara a 5 cent. e para conhecimento do gênero do Brasil – e o Pavilhão do Brasileiro que é elegante de fora e bem arranjado internamente. Tem terraço superior que é preciso cobrir para não andar sobre tábuas estreitas de pinho não contíguas e que oscilam quando se anda. Às fui à festa do Lopes Neto neste hotel. Havia bastante gente e bonita mesa. Às 10 ¼ saí com o general Newton meu guia para a procissão. Acompanharam-me no mesmo carro o Carvalho Borges e o Archer. O carro tinha a bandeira brasileira hasteada por um moço perto do cocheiro. Reuni-me à procissão. No lugar indicado, tendo se oferecido para minha escolta os operários de uma grande fábrica de serras, servindo-lhes de armas aquelas. A procissão vai até o fim de uma rua bastante larga e de 2 ½ milhas de comprido. Depois seguiu pela rua do meu hotel até o City Hall. Deixei-a antes de eu chegar a esta última rua – era mais de 1 hora e vi do hotel passar a procissão. Levava 16.000 pessoas e representações de fábricas e associações. Alguns dísticos eram chistosos e um carro representava 1776 por uma velha e 1876 por uma bonita moça. Os comissários da exposição; autoridades e outras pessoas foram de carro como eu.

 

03.07.1876 Original