09.07.1876

 

    Antes do almoço fui ver a ponte de Haarlen que gira na parte central sobre um peão para deixar passar os barcos. O serviço da passagem não está bem organizado; um barco por falta de espias ou reboque demorou mais de meia hora no princípio da ponte. A ponte central roda sobre três rodetes que giram em cima de um pegão de forma cilíndrica. O lugar de Haarlen não é bonito.

    Das 10 ¾ até 3 ¼ fui ao cemitério de Greenwood em Brooklin. É um dos mais bonitos que tenho visto por sua posição, plantação de árvore e gramado, lagos com repuxos e número de monumentos. Há alguns belos, distinguindo-se o material que cidade de N. York levantou em honra dos soldados que morreram na Guerra Civil, tendo mandado 148.000. As estátuas de bronze representando soldados das diferentes armas que cercam a coluna são de mérito. Um monumento muito bonito é o que tem esta inscrição: Charlotte Canda died suddenly by falling from a carriage on the night of the 3d of February 1845 being the seventeenth anniversary of her birthday. Em baixo lêem-se estes versos:

    So sinks from sight Eve’s golden star

    Lost in the watery depths, afar:

    Yet still does the fair planet burn:

    Not hopeless is our Charlotte’s urn

    In God’s own morn her orb will rise

    Once more – a star of Paradise

    Os cavalos arrastando o carro a despedaçaram. O pai empregou o dote dela na construção do monumento feito na Itália. De Greenwood andei no Prospect-Park, que é tão belo – e com melhor vista – era mais belo que Central Park da cidade de N. York. Brooklyn tem boas ruas e casas e uma linda fonte rodeada de globos de vidro, em parte cavados e ligados entre pelo conduto de gás.

    Acha-se num alto de onde descem diversas ruas. Lembrou-me para muito menos é verdade – o lugar do arco da Estrela em Paris. De tarde fui ao Central Park, e andei todo o lago em escaler. À noite fui ao Concerto Gilmore – benefício de Esmeralda Cervantes.

    Rompi o povo para ouvir duas vezes o hino de Carlos Gomes que muito me agradou; mas parece não ser bastante barulhento para este povo.

 

09.07.1876 Original