banner imprensa

Museu Imperial recebe concentração de automóveis históricos

Museu Imperial recebe concentração de automóveis históricos
 
No dia 29 de julho, sexta-feira, quem visitar o Museu Imperial pela manhã terá a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre veículos antigos. Na data, entre 9h e 10h, o pátio do Museu receberá a concentração do Raid de Automóveis Históricos, que parte de Petrópolis em direção a Juiz de Fora, como parte das comemorações dos 150 anos da Estrada União e Indústria.
 
O raid – espécie de rally em que não há competição, apenas um passeio de automóveis – irá refazer o trajeto de d. Pedro II ao inaugurar a Estrada União e Indústria, em 1861. Participarão do evento cerca de 20 automóveis com pelo menos 30 anos, muitos dos quais não são mais fabricados. Serão Pumas, Mercedes, BMWs, Fuscas, um Karmann Ghia e até dois Porsches Carrera, modelo do qual só existem 15 no Brasil.
 
A partir das 9h, eles se concentrarão no Museu Imperial, de onde partirão às 10h com destino ao Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora, com chegada prevista para 13h. Os carros permanecerão na cidade até domingo, 31 de julho, em exposição no 18º Encontro do Automóvel Antigo de Juiz de Fora.
 

Grupo de teatro petropolitano apresenta obra de Cláudio de Souza

Grupo de teatro petropolitano apresenta obra de Cláudio de Souza

 

Na última quinta-feira, 14 de julho, petropolitanos e visitantes da cidade tiveram a oportunidade de conhecer um pouco melhor a obra de Cláudio de Souza, importante escritor e dramaturgo brasileiro. Na data, o grupo Teatro Experimental Petropolitano (TEP), sob coordenação do professor Joaquim Eloy, apresentou uma interpretação de três peças do escritor na Casa de Cláudio de Souza/Museu Imperial.

 apresentao na casa de cludio de souza

Foram apresentados trechos das obras “Eu arranjo tudo” (1915), primeira peça escrita por Cláudio de Souza; “A Matilha” (1924); e “Flores de Sombra” (1916), considerada sua peça mais importante e de maior influência para o teatro brasileiro, já tendo sido representada mais de 300 vezes.

 

O professor Eloy destacou que, além de homenagear o dramaturgo, a apresentação também relembrou a história do próprio TEP. O grupo já havia representado peças de Cláudio de Souza em duas ocasiões, uma em 1958 e outra em 2003, na própria casa.

 

A edificação, doada ao Museu Imperial em 1956 pela viúva do escritor, foi reaberta este mês, após um processo de restauro que durou cerca de oito meses. A partir de então, o espaço fica aberto à visitação gratuita, contando com uma exposição permanente sobre a vida de Cláudio de Souza em Petrópolis e a biblioteca do escritor, também disponível para consulta.

 

A visitação acontece de terça a sexta-feira, das 11h às 18h. Já a biblioteca funciona de terça a sexta, das 13h30 às 17h30 (livre) e na parte da manhã (mediante agendamento pelo e-mail mimp.biblioteca@museus.gov.br). Mais informações sobre a casa podem ser obtidas pelo telefone (24) 2245-3418 ou pelo e-mail mimp.claudiodesouza@museus.gov.br.

 

Em solenidade, Museu Imperial reabre Casa de Cláudio de Souza

Em solenidade, Museu Imperial reabre Casa de Cláudio de Souza

 

Na última terça-feira, 12 de julho, foi realizada a solenidade de reabertura da Casa de Cláudio de Souza/Museu Imperial, que se transforma em um novo centro cultural na cidade de Petrópolis. O evento contou com uma mesa de abertura, o lançamento da versão em língua inglesa do Guia de Visitação do Museu Imperial e uma leitura de um conto do escritor e dramaturgo Cláudio de Souza.

 

A casa passou por um restauro de cerca de oito meses e, a partir de agora, será aberta ao público com entrada gratuita. No espaço, foi montada uma exposição dedicada à vida de Cláudio de Souza em Petrópolis e a biblioteca do escritor, composta de mais de 600 obras, disponíveis para consulta pública.

 

O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr., destacou a importância de se abrir a casa à visitação. “O Museu Imperial recebeu estareabertura da casa de cludio de souza edificação em 1956, por doação da viúva de Cláudio de Souza, dona Luiza, que satisfazia a vontade de seu marido. Agora, estamos concretizando seu desejo de ver esta casa como um espaço de efervescência cultural. Aqui, serão realizadas exposições, leituras de peças e outros eventos”.

 

Também esteve presente à cerimônia Cláudio Murilo Leal, presidente do PEN Clube do Brasil, instituição criada por Cláudio de Souza em 1936. “Cláudio de Souza, muitas vezes, é lembrado apenas como um benfeitor, um homem rico que legou seu patrimônio a instituições, como aconteceu com esta casa, doada ao Museu Imperial. Mas é importante que ele também seja lembrado como escritor e dramaturgo, pois teve grande influência no teatro brasileiro”, afirmou.

 

Representando o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Cláudia Storino, da Coordenação de Espaços Museais, Arquitetura e Expografia do Ibram, ressaltou a importância histórica da edificação. “O Museu Imperial fez um importante trabalho ao recuperar os aspectos originais desta construção”, completou.

Participaram da solenidade, ainda, representantes das instituições que têm suas sedes na Casa de Cláudio de Souza: o presidente da Academia Petropolitana de Educação, Ataualpa Antonio Pereira Filho; o presidente do Instituto Histórico de Petrópolis, Luiz Carlos Gomes; e o presidente das Academias Petropolitana de Letras e Brasileira de Poesia - Casa de Raul de Leoni, Joaquim Eloy.

 

Após a solenidade, foi realizado o lançamento da versão em língua inglesa do Guia de Visitação do Museu Imperial, patrocinado pela Família Imperial Brasileira. Representando a família, o príncipe d. Pedro Carlos de Orleans e Bragança autografou um dos exemplares, que foi entregue à chefe da Biblioteca do Museu Imperial, Cláudia Costa, para compor o acervo da instituição.

 

Em seguida, o historiador, professor e diretor de teatro e cinema Flávio Kactuz fez uma leitura dramatizada do conto “Só os loucos sabem amar”, de autoria de Cláudio de Souza e integrante do livro Sol e Sombra, publicado em 1945.

 

A Casa de Cláudio de Souza está aberta à visitação de terça a sexta-feira, das 11h às 18h, com entrada gratuita. Já a Biblioteca de Cláudio de Souza funciona de terça a sexta, das 13h30 às 17h30 (livre) e na parte da manhã (mediante agendamento pelo e-mail mimp.biblioteca@museus.gov.br).

 

Reunião no Museu Imperial debate Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Reunião no Museu Imperial debate Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 

“Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de riscos”, um tema que possui estreita relação com a Região Serrana, será o mote da edição de 2011 da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, a ser realizada de 17 a 23 de outubro. Nesta quarta-feira, 06 de julho, o evento foi debatidofoto - snct em uma reunião no Museu Imperial, que teve participação de representantes de municípios do estado do Rio de Janeiro e de instituições públicas e privadas.

Como ocorreu em anos anteriores, o Museu Imperial será um dos espaços que receberão atividades educativas e culturais durante a Semana. O objetivo é difundir o conhecimento na área de Ciência e Tecnologia e mostrar para a sociedade, de forma lúdica e descontraída, as aplicações práticas da teoria que é ensinada nas escolas e universidades.

Durante a reunião, foram apresentados os resultados da edição de 2010 da Semana, realizada em 27 cidades do Rio de Janeiro, além de diversas outras pelo país. Em seguida, foram debatidas propostas para a edição deste ano, a partir da temática do evento.

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia é promovida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, em parceria com governos estaduais, prefeituras e instituições.