banner imprensa

Museu Imperial inaugura exposição de chapéus
 
A Sala de Exposições Temporárias do Museu Imperial inaugurou, neste mês de outubro, a exposição “O Chapéu nas coleções do Museu Imperial”, que vai permanecer em cartaz até dezembro. No local estão expostas peças de destaque dentro do acervo do Museu Imperial, tendo peças da Museologia, do Arquivo Histórico e da Biblioteca.
 
Os 20 chapéus da coleção estão agrupados em dois núcleos: um núcleo mais voltado para os chapéus de uso militar e outro para os de uso civil. Além disso, mais quatro chapeleiras estão em exposição junto com fotografias e quadros a óleo originais e reproduções. “Nós convidamos o público a uma viagem visual que aproxima acervo histórico e artístico à vida de cada passageiro, transformando o visitante em agente ativo da História, pois, quem nunca usou um chapéu?”, afirma e questiona o diretor do Museu Imperial, professor Maurício Vicente Ferreira Jr. 
 
A exposição possui, ainda, anúncios de lojas do século XIX e trechos da literatura que mostram a importância do chapéu. “Julgamo-lo importante, pois poucos são os objetos que se perpetuam ao longo da história da humanidade, acumulando tantas formas, simbologias e significações. Talvez pela eficiência da sua função mais remota, de simples recurso de proteção para a cabeça, o chapéu tenha alcançado um status de recorrência, assumindo destaque na representação visual de homens e mulheres de diferentes períodos da História, como que um elemento capaz de denunciar o espírito de uma época”, continua refletindo o diretor. 
 
Segundo o setor de Museologia do Museu Imperial, duas peças possuem destaque nesta exposição. Uma delas é o quepe de marechal, feito de feltro bordado a fio de ouro, couro e seda e que pertenceu a Gastão de Orleans, o conde d’Eu, no século XIX. No local, é possível ver, perto da vitrine onde se encontra o objeto, duas reproduções de fotografias do conde d’Eu usando um chapéu semelhante. 
 
Outro destaque é o chapéu armado bicorne, peça mais antiga da exposição, usado em eventos de pequena gala, feito de feltro, seda, couro e placa de ouro cinzelado. O objeto possui um distintivo formado pelas três armas de Guerra – Artilharia, Infantaria e Cavalaria - e pertenceu a dom João VI, no início do século XIX.
 
 
SERVIÇOS
 
Museu Imperial/Ibram/MinC
Endereço: Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ
Telefones: (24) 2233-0300 / (24) 2233-0360
Twitter: @museuimperial
 
Visitação: de terça a domingo, das 11h às 18h
Jardins: de terça a domingo, das 8h às 18h
 
Preços:
Adultos: R$ 8,00
Estudantes, professores e maiores de 60 anos: R$ 4,00
Menores de 7 anos e maiores de 80: gratuito
Moradores de Petrópolis e petropolitanos, às quartas-feiras e no último domingo do mês: gratuito
 
 
Assessoria de Imprensa
Tarsila Rangel
(24) 2233-0321 / 2233-0392