Exposições Virtuais

 

O Telégrafo

Inventado pelo estadunidense Samuel Morse, na década de 1830, o telégrafo surgiu no Brasil em 1857. A partir de então, o imperador d. Pedro II contribuiu para sua expansão não somente em território nacional como também na ligação com outros países.

A primeira linha telegráfica brasileira possuía 50 km de extensão e ligou o Rio de Janeiro a Petrópolis a partir de 1857. Em 23 de dezembro de 1873, foi realizada a ligação entre o Rio de Janeiro e as cidades de Belém (PA), Recife (PE) e Salvador (BA). D. Pedro II estava presente na praia de Copacabana e assistiu à chegada do cabo e à finalização da sua ligação. Estabelecida a conexão, enviou cabogramas (mensagens telegráficas enviadas por cabo submarino) aos presidentes das três províncias.

A primeira ligação por telégrafo entre o Brasil e outro país se deu em 22 de junho de 1874, com Portugal, graças à iniciativa de Irineu Evangelista de Souza, então visconde de Mauá. Os esforços tiveram início dois anos antes, com o Decreto nº 5.058, de 16 de agosto de 1872, que “Autoriza o barão de Mauá a estabelecer e explorar um cabo telegraphico submarino entre o Imperio do Brasil e o reino de Portugal e suas possessões”.

A linha ligou as estações de Recife e de Carcavelos (Portugal), via Cabo Verde e Ilha da Madeira. Na ocasião, o imperador mandou passar cabogramas ao presidente da Brazilian Submarine Telegraph Company (depois Western Telegraph Co. Ltd.) e aos monarcas de Portugal, da Inglaterra e da Áustria.

Modelo (impresso) de trabalho feito pelo telégrafo “Baudot Télégraphiste a Paris” na ocasião da viagem do imperador. França, 28 de abril de 1877.  Acervo do Arquivo Histórico do Museu Imperial.       

Trecho do diário de d. Pedro II. 22 de fevereiro de 1862. Acervo do Arquivo Histórico do Museu Imperial.

Transcrição:

Entreguei ao Manuel Felizardo os papéis sobre propostas para telégrafos elétricos inclinando-se ao parecer da maioria da seção do Império e aconselhando que se consultasse o diretor dos telégrafos.   

Trecho do diário de d. Pedro II. 07 de julho de 1876. Acervo do Arquivo Histórico do Museu Imperial.

Transcrição:

Antes do almoço estive no magnífico edifício do Western Union Telegraph – Aí convergem 40 linhas. As proximidades parecem uma meada de fios que se cruzam no ar. Tem tubos pneumáticos para os telegramas do serviço das principais estações da cidade, e a 5 de agosto começa a trabalhar em grande parte da cidade o telégrafo por meio de fios dentro de tubos de ferro enterrados 3 pés. Mandei um telegrama para a minha filha.       

Trecho do diário de d. Pedro II. 28 de março de 1881. Acervo do Arquivo Histórico do Museu Imperial.

Transcrição:

Conversa com Ewbank que chamou minha atenção para o telégrafo provincial de Carandaí até Ouro Preto. 

 

< Anterior   Próxima >