Retrato equestre do príncipe Regente d. João

João Tomás da Fonseca (1754-1835). Retrato equestre do príncipe Regente d. João. Óleo sobre madeira, c. 1805, 31X22cm, ricamente adornado com moldura de madeiras raras do Brasil.

Procedência: Coleção Real Portuguesa (Palácio de Queluz); Coleção Ricardo do Espírito Santo Silva; Coleção Newton Carneiro.

A pintura do famoso artista português João Tomás da Fonseca teve como modelo a estampa de número LVIII da obra “A Luz da Liberal e Nobre Arte da Cavallaria offerecida ao Senhor D. João Príncipe do Brasil”, da autoria de Manuel Carlos de Andrade, publicada em Lisboa pela Regia Officina Typografica, em 1790.  A publicação é reconhecida como um dos mais completos tratados de cavalaria do período e, para muitos, a principal obra do gênero em toda a Europa.

Antes de ser adquirido pela Sociedade de Amigos do Museu Imperial aos herdeiros do colecionador Newton Carneiro, o quadro pertenceu à coleção do banqueiro e mecenas português Ricardo Ribeiro do Espírito Santo Silva e, antes dele, à Coleção Real Portuguesa, no Palácio de Queluz.

A doação da Sociedade de Amigos do Museu Imperial vem complementar o acervo do Museu Imperial uma vez que a instituição possui o chapéu bicorne que o então príncipe regente ostenta na pintura. A doação ao Museu Imperial ocorreu em 1948 quando o embaixador Raul Fernandes, então Ministro das Relações Exteriores do Brasil, recebeu o chapéu das mãos da Sra. Maria do Carmo Noronha Husum em Lisboa, Portugal. Quadro e chapéu serão peças de destaque durante as comemorações dos 200 anos da elevação do Brasil à categoria de Reino que o Museu Imperial prepara para o presente ano.

retrato djoao

Kit de viagem do imperador d. Pedro II

Kit higiênico de viagem que pertenceu ao imperador d. Pedro II e seu neto, o príncipe d. Augusto Leopoldo de Saxe-Coburgo e Bragança, peça adquirida pela Sociedade de Amigos do Museu Imperial em favor do Museu Imperial em leilão realizado na Casa Sotheby´s, deNova Iorque, EUA, no dia 23 de outubro de 2014.

15 peças de toillete em cristal, vidro, couro e prata, de fabricação francesa “ER”, circa 1860, com as iniciais “PII” sob coroa imperial brasileira. Estojo de madeira e couro, de fabricação austríaca “Franz Hiesse & Söhne Wien”, sem data, com as iniciais “A[ugusto] L[eopoldo] C[oburgo] B[ragança]” sob coroa imperial brasileira, medindo 20,6 X 41,9cm.

imagem peaas do set

monograma

set higienico pedroii