banner peca do mes

François René Moreaux. Óleo sobre tela. 1842. 2,380 x 3,100m

Transferência do Castelo d’Eu em 1975.

A Sagração e Coroação de d. Pedro II ocorreu em 18 de julho de 1841, na Capela Imperial, no Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

*Juramento do Imperador

Auto de Juramento

 

          Saibam quantos este público instrumento virem, que no ano do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de 1840, 19º. Da Independência e do Império do Brasil, aos 23 dias do mês de julho, nesta Leal e Heróica Cidade do Rio de Janeiro, no paço do Senado, onde se reuniram as duas câmaras legislativas, estando presentes 33 Senadores e 84 Deputados, sob a presidência do Exmo. Sr. Marquês de Paranaguá, para o fim de se dar execução ao Art. 103 da Constituição, estando presente S.M.I. o Senhor d. Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bebiano Francisco Xavier de Paula Leocádio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga, segundo Imperador e Defensor Perpétuo do Brasil, filho legítimo e primeiro varão existente do falecido senhor d. Pedro Primeiro, Imperador e Defensor Perpétuo, que foi do Brasil, e da falecida Senhora D. Maria Leopoldina Josefa Carolina, Imperatriz, sua mulher, Arquiduquesa da Áustria, lhe foi apresentado pelo Exmo. Presidente o missal, em que o mesmo augusto Senhor pôs a sua mão direita; e, sendo por mim lida a fórmula determinada no Art. 103 da Constituição, pronunciou S.M.I., em alta voz, o seguinte juramento: “Juro manter a religião católica apostólica romana, a integridade e indivisibilidade do Império, observar e fazer observar a Constituição política da nação brasileira, e mais leis do império, e prover o bem geral do Brasil, quanto em mim couber.”

         E para perpétua memória se lavrou este auto em duplicata, que vai assinado pelo mesmo augusto Senhor, pelo Presidente e dois primeiros secretários de uma e outra câmara.

         E eu Luis José de Oliveira, 1º. Secretário do Senado, a escrevi.

 

D. PEDRO SEGUNDO

 

MARQUÊS DE PARANAGUÁ, Presidente

LUIS JOSÉ DE OLIVEIRA, 1º. Secretário do Senado.

ANTÔNIO JOAQUIM ÁLVARES DO AMARAL, 1º. Secretário da Câmara dos Deputados

 

*Juramento prestado pelo Imperador em 23 de julho de 1840

Legenda da imagem:

Em primeiro plano, da esquerda para a direita:

Bispo de Cuiabá – d. José Antônio dos Reis

Bispo do Rio de Janeiro – d. Manuel do Monte Rodrigues Araújo, visconde de Irajá

Arcebispo Metropolitano da Bahia – d. Romualdo Antônio de Seixas - primaz do Brasil; imperador d. Pedro II

Marquês de Paranaguá – Francisco Vilela Barbosa, condestável

Mestre de Cerimônias - Antônio Barbosa da Silva, guarda-tapeçarias

Visconde de Sepetiba - Aureliano de Sousa e Oliveira Coutinho

Bispo de Crisópolis – frei Pedro de Santa Mariana

Homem atrás do imperador: Paulo Barbosa da Silva, mestre de cerimônias

Homem à esquerda de Aureliano Coutinho: Miguel Calmon du Pin e Almeida, marquês de Abrantes, ministro da Fazenda.

 

Na sacada:

Homem da esquerda: barão de Caxias (futuro duque de Caxias) – veador das princesas

Mulheres ao centro, da mais baixa para a mais alta: d. Mariana Carlota Verna Magalhães Coutinho; princesa d. Januária; princesa d. Francisca

Última mulher à direita: d. Guilhermina Adelaide Carneiro Leão, marquesa de Maceió.